Topo
 

O perigo dos fast foods para a saúde e como evita-lo

perigo dos fast foods

O perigo dos fast foods para a saúde e como evita-lo

Podem até parecer gostosos e práticos, mas o perigo dos fast foods é real.

Gostosos, baratos e perigosos. Os fast foods são uma mania há anos. Grandes empresas como Mc Donald’s, Burger King e Bob’s se fundamentaram exatamente em cima disto. E, aqui, mostraremos o perigo que um estilo de vida mais “prático” pode trazer.

Quando se tem uma rotina agitada, é fácil comer fora de casa. E nem sempre há um restaurante bacana por perto.

Na emergência da fome, resolvemos nos virar com o que há disponível. E, aí, os fast foods ganham espaço.

Porém, o barato pode sair bastante caro. Porque, mesmo apetitosos, os hambúrgueres, as batatas fritas e os refrigerantes não são saudáveis.

Não à toa nos Estados Unidos, terra dos fast foods, 38% dos adultos e 17% dos adolescentes estão obesos.

No Brasil, os números não são muito melhores. São 18,9% de obesos no pais – um aumento de 60% em 10 anos. Já a quantidade de pessoas com excesso de peso é de 53,8%.

Fique por dentro sobre o que iremos falar:

Obesidade x sobrepeso

Antes de entender o perigo dos fast foods, é preciso entender dois termos bem populares: obesidade e sobrepeso.

Sobrepeso é, apenas, estar pouco acima do peso normal. Isto, é claro, considerando idade, peso, etc.

O sobrepeso é ruim, mas pode ser resolvido facilmente. Gera, sim, um desconforto. Mas não é considerado uma doença.

Já a obesidade é bem mais grave. É uma doença que se apresenta pelo acumulo de gordura em diversas regiões do corpo.

Na tabela abaixo a gente mostra um comparativo do que são, de fato, obesidade e sobrepeso.

Obesidade Sobrepeso
O que é? Doença correlacionada ao acúmulo excessivo de gordura corporal Condição em que o indivíduo está acima do peso ideal para a idade e altura
Fatores de risco Doenças coronarianas, hipertensão, diabetes, hipotireoidismo Depressão, hipertensão
Causas Consumo exacerbado de alimentos gordurosos, estresse, desequilíbrio hormonal, depressão, sedentarismo Ingestão de uma quantidade maior de alimentos do que a digerida pelo corpo, fatores genéticos
IMC Maior que 30 Entre 25 e 29,9
Tratamento Reeducação alimentar, exercícios físicos e cirurgias em casos extremos Reeducação alimentar e exercícios físicos
Ocorrência Mais de 300 milhões de pessoas ao redor do mundo Mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo
Em crianças 1,1 milhão de crianças 22 milhões de crianças
Geografia Maior ocorrência na América do Norte, Europa Ocidental, Oriente Médio, região do Pacífico, China e Australásia Globalmente

Porque comemos o que comemos

O perigo dos fast foods, muitas vezes, passa despercebido. E muito por conta de nossa rotina.

Vivemos em uma lógica em que tempo é dinheiro. E uma boa alimentação consome muito tempo. Logo, é mais rápido comer alimentos industrializados. Porque, de maneira geral, eles já “estão prontos”.

Restaurantes como Mc Donald’s, Subway e Pizza Hut vendem muito por conta disso. Somente a “rede do palhaço” vende para 50 milhões de pessoas. Todos os dias.

As pessoas sabem que fast food não é bom. Que a junção de bacon, ovo frito, batata frita, refrigerante e carne processada acaba mal. Mas a gente consome ainda assim. Por necessidade.

O problema é que, à medida que a necessidade aumenta, a gente mantém o consumo. E o perigo dos fast foods mora, justamente, aí.

Como evitar o perigo dos fast foods?

Antes de mais nada, é preciso explicar: não há problema em consumir fast food. Desde que não seja em excesso e todo o tempo.

Para os adultos, os cuidados devem ser feitos durante a rotina. Preparar alimentos mais saudáveis. Levar de casa e não comprar assim que a fome atinge.

Passar por um nutricionista é essencial. Um profissional que entenderá suas necessidades alimentares e prescreverá uma dieta ideal.

Exercícios físicos são uma tática inteligente para evitar o sedentarismo. Atividades como corrida e artes marciais consomem bastante energia e exigem uma alimentação regrada.

Já com as crianças, é mais complicado. É responsabilidade dos pais fazê-los entender que comida boa é comida saudável. Isso pode dar um certo trabalho, mas valerá a pena.


O perigo dos fast foods é real. A obesidade é uma doença global, e que causa danos terríveis ao bem-estar. Mas, não é difícil evitar estes riscos. Basta entender que, gostoso mesmo, é viver bem.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Siga nossas Redes Sociais

E acompanhe todas as novidades!